fbpx
Avançar para o conteúdo

Certificados de Aforro e Tesouro: quais as diferenças?

Certificados de Aforro e Tesouro: em que consistem, quais as características de cada um, quanto rendem, onde os podes subscrever e muito mais.

Sim, neste artigo trago-te a resposta às tuas principais dúvidas para que fiques a conhecer melhor este produto e o que esperar dele.

‘bora lá avançar sem mais demoras!

O que são os Certificados de Aforro e de Tesouro?

Os Certificados de Aforro e Tesouro são produtos de dívida pública.

Isto significa que estás a emprestar dinheiro ao estado Português e como “agradecimento”, eles pagam-te juros.

De forma muito simples e sem rodeios, é isto o que tens de saber.

O capital que invisto é garantido?

Não existe risco zero em nenhum investimento.

O risco deste produto está associado ao risco do país uma vez que é o estado Português que garante que vais receber de volta o capital e os juros.

Só em caso de falência do país é que este produto poderá estar em risco, o que apesar de ser altamente improvável, já aconteceu em outros países.

Por isso, tipicamente, diz-se que este produto tem capital garantido.

Quais as principais características dos Certificados de Aforro?

Mínimo de Subscrição: € 100,00

Máximo de Subscrição: € 250.000,00

Juros: Mensais

Pagamento dos Juros: Trimestral

Capitalização de Juros: Sim

Prazo Máximo de Subscrição: 10 anos

Quais as principais características dos Certificados de Tesouro?

Mínimo de Subscrição: € 1.000,00

Máximo de Subscrição: € 1.000.000,00

Juros: Anuais

Pagamento dos Juros: Anual

Capitalização de Juros: Não

Prazo Máximo de Subscrição: 7 anos

Certificados Aforro e Tesouro
São investimentos com que Taxa?

Os Certificados de Aforro têm uma taxa variável, seguindo a fórmula: E3+1%, em que E3 é a média dos valores da Euribor a três meses.

Os juros obtidos resultantes da aplicação da taxa acima, são reinvestidos automaticamente, líquidos de IRS. Ou seja: os juros em vez de te serem pagos são reinvestidos automaticamente o que é bastante vantajoso.

Acrescido à taxa base está um prémio de permanência de 0,5% do início do 2º ano ao final do 5º ano e de 1,0% do início do 6º ano ao final do 10º ano.

Os Certificados de Tesouro têm uma taxa fixa para cada ano de aplicação, que deixo abaixo:

  • 1.º ano – 0,70%
  • 2.º ano – 0,70%
  • 3.º ano – 0,80%
  • 4.º ano – 0,90%
  • 5.º ano – 1,00%
  • 6.º ano – 1,30%
  • 7.º ano – 1,60%

A partir do 3º ano acresce um prémio de permanência em função do crescimento médio real do Produto Interno Bruto (PIB).

Nos Certificados de Tesouro não existe a capitalização dos juros.

São bons investimentos para o meu dinheiro?

Como sabes, não existe uma resposta certa a esta pergunta, porque cada um deve ser responsável pelas decisões que toma em relação à forma como gere o seu dinheiro.

São investimentos de muito baixo risco e com bastante liquidez, por isso o retorno destes produtos não é elevado.

Neste momento não superam a taxa de inflação o que significa que vais estar a perder dinheiro.

No entanto, são os mais atrativos com capital garantido e alternativas aos depósitos a prazo que deves considerar.

Podem ser os produtos indicados para o teu Fundo de Emergência, ou para o caso de estares a juntar para um objetivo de médio prazo: comprar um carro, a entrada para uma casa, etc.

Posso mexer no meu dinheiro?

Nos Certificados de Aforro, podes resgatar o teu dinheiro total ou parcialmente três meses depois da data de subscrição. Uma vez que os juros são pagos trimestralmente, se resgatares o teu dinheiro antecipadamente, não são pagos os juros decorridos entre a data da última capitalização e a data do resgate.

Nos Certificados de Tesouro o resgate total ou parcial só é possível ao fim de um ano da data de subscrição. Ao fim de um ano, podes resgatar o teu dinheiro a qualquer momento, mas com a perda total dos juros decorridos entre a data do último vencimento de juros e a data do resgate.

Não tens qualquer custo por resgatares o dinheiro antecipadamente e a única coisa que perdes são os juros decorridos entre as últimas datas de vencimento/capitalização e a data de resgate.

Em nenhum dos produtos podes deixar menos dinheiro do que o mínimo de subscrição que mencionei acima.

Onde e quando recebo o capital e os juros?

Nos Certificados de Aforro, receberás o teu capital e os juros ao fim de 10 anos da data de subscrição, se não o resgatares antecipadamente.

Nos Certificados de Tesouro, receberás os juros anualmente na tua conta bancária e o capital investido ao fim de 7 anos da data de subscrição.

O capital e os juros serão creditados no IBAN que deres no momento da subscrição e por norma, o dinheiro estará na tua conta no prazo de dois dias úteis.

O que tenho de fazer para subscrever os meus Certificados de Aforro e Tesouro?

A primeira subscrição de um destes produtos tem de ser feita presencialmente num balcão dos CTT.

Terás de levar contigo o teu cartão de cidadão, comprovativo de morada, comprovativo do IBAN onde queres que sejam creditados o capital e os juros, o meio de pagamento para fazeres a subscrição (dinheiro, cartão multibanco ou cheque) e um comprovativo de profissão e entidade patronal.

Se quiseres leva já o formulário preenchido para poupares tempo.

Depois da primeira subscrição presencial vais receber os dados para criares uma conta AforroNet onde podes fazer novas subscrições ou movimentações on-line.

Certificados Aforro e Tesouro
Posso reforçar os Certificados de Aforro e Tesouro?

Não.

Este produto não permite reforços.

Se quiseres aplicar mais dinheiro no mesmo produto, terás de fazer uma nova subscrição.

Tenho de os declarar no IRS?

Os juros destes dois produtos estão sujeitos a IRS, sendo feita a retenção na fonte à taxa liberatória (28%). 

Quando pagas esta taxa, já não precisas de os incluir na tua declaração de IRS.

Posso simular quanto vou receber?

Usa este simulador para saberes quanto podes ganhar com o teu Certificado de Aforro e este simulador para o Certificado de Tesouro.

Quais as vantagens e desvantagens destes produtos?

Os produtos são simples, não têm comissões, são seguros e têm liquidez.

Num deles existe até a capitalização de juros, o que te permite beneficiar de um pequeno efeito de juros compostos.

A desvantagem é que por serem seguros e de elevada liquidez, as rentabilidades são baixas e não são suficientes para superar a taxa de inflação.

Podes considerar aplicar o dinheiro que queres manter seguro nestes produtos, mas procura uma diversificação maior e um pouco mais de risco para conseguires retornos mais interessantes.

Lembra-te que não temos todos o mesmo perfil de investimento, e não existe uma forma certa de fazer as coisas.

Existe aquela que for melhor para ti.

Tentei simplificar as coisas ao máximo e espero que este artigo te tenha ajudado a perceber melhor este produto e quais as suas características.

Partilha-o com um amigo ou familiar e ajuda-o a aumentar a sua literacia financeira e a gerir melhor o seu dinheiro.

Obrigada por estares desse lado.

Cat