*Post escrito em parceria com a UCI

O que é melhor: comprar ou arrendar casa?

Esta é uma dúvida que muita gente tem e se vieste à procura da resposta certa, informo-te desde já que este artigo não ta dá. O eterno dilema “Comprar ou Arrendar Casa” é complexo, tem muitas particularidades e a resposta certa (se é que ela existe) vai variar de pessoa para pessoa.

O que pretendo com este artigo é dar-te a conhecer os prós e os contras de comprar e arrendar casa, e salientar os aspectos que deves ter em consideração antes de decidires se deves avançar para a compra ou para o arrendamento.  

Sou apologista de que deves tomar as tuas decisões alinhadas com a tua realidade e com aquilo que acreditas ser o melhor para ti e para a tua vida. O teu contexto, os teus objectivos, as tuas possibilidades financeiras e até mesmo os teus interesses devem orientar a tua decisão, que deve ser sempre informada e acima de tudo consciente, dos custos nos quais estás prestes a incorrer.

Vamos lá então analisar as principais diferenças entre comprar e arrendar casa e aquilo que deves ter em consideração antes de tomares uma decisão.

comprar-arrendar-casa
As Vantagens de Arrendar Casa
  • Ganhas mais capacidade e facilidade de mobilidade sem muita burocracia ou investimento;
  • Não exige um investimento inicial tão grande como na compra, uma vez que o máximo que te podem pedir é a renda + caução;
  • É mais fácil de sair caso não gostes do imóvel, da vizinhança ou se subitamente a tua vida mudar;
  • Não pagas IMI, condomínio, seguros e eventuais obras ou reparações que tenham de ser feitas na casa;
  • Pagas uma renda e não te chateias com mais nada.
As Desvantagens de Arrendar Casa
  • Não estás a pagar por algo que é teu, ou que vá ficar para ti e/ou para os teus;
  • Corres o risco de o teu senhorio subir o preço da renda ou cessar o contrato de arrendamento;
  • Não tens tanta liberdade para fazeres alterações no imóvel;
  • Os preços praticados são elevados e podem pesar muito no teu orçamento.
As Vantagens de Comprar Casa
  • Estás a pagar por um bem que à partida vai ficar para ti e que podes deixar como herança à tua família;
  • A tendência de valorização do mercado imobiliário pode levar a que, um dia que queiras ou precises de vender o teu imóvel, consigas lucrar com isso;
  • Se por algum motivo as tuas circunstâncias de vida mudarem, podes sempre colocar o teu imóvel a arrendar e gerares com ele um rendimento passivo e até mesmo algum lucro;
  • Podes ter a casa ao teu gosto e fazeres as alterações que quiseres sem teres de dar justificações a ninguém;
  • Representa um custo mensal mais baixo face aos preços atuais do arrendamento, o que te permitirá ter um orçamento mensal mais folgado;
  • Enriqueces o teu património com um ativo que tem tendência a valorizar;
  • Ganhas estabilidade e segurança ao estares numa propriedade que é tua e não estás dependente das vontades e interesses de um senhorio;
  • Estás a criar as condições necessárias para uma reforma mais tranquila onde, em idade avançada, não terás de te preocupar com os custos de um arrendamento.
As Desvantagens de Comprar Casa
  • Tens de ter disponível um valor elevado para dares de entrada ao qual ainda acrescem todos os custos associados à compra do imóvel;
  • Para além da prestação mensal ao banco, tens ainda de suportar todos os outros custos associados com o imóvel: seguro multirriscos, IMI, condomínio e despesas de manutenção;
  • Se por algum motivo quiseres mudar de casa, o processo de venda pode ser dispendioso, demorado e burocrático;
  • Se recorreres a crédito habitação com taxa variável corres o risco de ver a tua prestação mensal aumentar;
  • Perdes a oportunidade de investir o dinheiro que vais dar de entrada no imóvel, num qualquer produto financeiro com taxas de retorno atrativas.

Como vês existem vantagens e desvantagens em ambos os cenários e deixo-te abaixo algumas considerações que te podem ajudar a decidir o que é melhor para ti:

comprar-arrendar-casa
1 – Decide por ti, não cedas à pressão

Tu és responsável pelas decisões que tomas e elas devem estar alinhadas com as tuas possibilidades, prioridades e com aquilo que queres para a tua vida. Não tens (nem deves) comprar ou arrendar casa só porque é o que toda a gente está a fazer, ou porque te dizem que é o melhor que tens de fazer.

Deves sim, tomar uma decisão informada e alinhada com os teus interesses, possibilidades e com o destino que queres dar ao teu dinheiro.

Reflete sobre o que queres fazer neste momento da tua vida porque só tu sabes o que faz sentido para ti e é em função disso que deves tomar a tua decisão.

2 – Não te sintas pressionado pelo mercado

O mercado imobiliário está no auge. A lei da oferta e da procura aumentou os preços quer da compra, quer do arrendamento, mas por outro lado, nunca foi tão barato pedir dinheiro emprestado ao banco.

Este cocktail de fatores torna o processo de decisão ainda mais difícil porque ninguém quer dar € 1.300 por um T2 em Lisboa, mas por outro lado quase ninguém tem disponíveis € 30.000 para dar de entrada para uma casa.

O mercado não foge e terá sempre fases boas e más, e claro que o ideal é entrares quando ele está mais favorável. No entanto, é ainda mais importante e seguro entrares quando tiveres estrutura e capacidade financeira para tal.

Por isso, não tenhas medo de perder a onda, lembra-te sempre que a tua segurança e estabilidade financeira estão em primeiro lugar.

3 – Decide em função da fase de vida em que te encontras

Acabaste de arranjar o teu primeiro emprego? Começaste agora a viver com o teu namorado? Ambicionas trabalhar no estrangeiro? Podes, literalmente, trabalhar de qualquer lugar? Nestas fases embrionárias e instáveis da vida, o arrendamento é mais aconselhável pela liberdade e pouco nível de compromisso que representa.

Por outro lado, se vais casar ou estás à espera de um filho, se tens família formada, emprego estável e gostas do sítio onde vives, se tens estabilidade financeira e dinheiro disponível para a entrada ou se encontraste uma boa oportunidade de negócio, a compra pode ser aconselhada.

Já deu para perceber que a tua condição de vida influencia bastante a decisão que vais tomar. É por isso que não existe uma resposta certa sobre se deves comprar ou arrendar casa porque é uma decisão muito pessoal, racional e que deve ser bem ponderada antes de ser tomada.

4 – Analisa a tua situação financeira

A situação financeira em que te encontras deve ser tida em conta antes de tomares uma decisão e é fundamental para te ajudar a decidir. É muito importante que tenhas em consideração se consegues (e queres) assumir uma dívida de longo prazo como é o recurso ao crédito habitação.

Às vezes a decisão aparece sozinha, porque uma situação financeira mais frágil é suficiente para o banco se recusar a emprestar-te dinheiro.

Tens disponível o dinheiro para dar de entrada para a casa, mais o dinheiro com os custos que vais ter de suportar? Se não tens, para já, a hipótese de comprar casa está fora de questão. No entanto, se comprar casa é um desejo que tens, começa a fazer contas ao montante que irás precisar e orienta a tua vida para reunires o dinheiro necessário.

Vê neste artigo que escrevi, 10 dicas para quem quer comprar casa.

Se a tua situação financeira é estável e tens o dinheiro para entrada + custos, analisa bem o mercado, e começa a pedir simulações.

Por outro lado, se já tens outro tipo de dívida financeira, contraíres mais uma pode não ser a melhor opção para ti. Corres o risco de ficar bastante endividado e com pouca segurança e estabilidade financeira.

comprar-arrendar-casa
5 – Não faças contas por alto

A decisão de comprar casa é uma decisão que te vai acompanhar em grande parte da tua vida se decidires avançar, por isso mesmo deve ser bem pensada e calculada. Não te limites a fazer as contas por alto e esforça-te por simular quanto te irá custar anualmente a tua casa quer a compres, quer a arrendes.

No arrendamento as contas são mais fáceis de fazer, mas na compra não te esqueças que para além da prestação mensal ao banco, pagarás anualmente o seguro multirriscos, o IMI e eventuais despesas de manutenção da casa, e mensalmente o condomínio e o seguro de vida.

Pedi ajuda à UCI e eles fizeram uma simulação para ambos os cenários. Não é incrível? Ora espreita:

Exemplo 1

Tendo em conta um T1 com 50 m2 em Lisboa no valor de 171 900€

Crédito Habitação a 30 anos

Entrada Inicial: 17 190€

Valor da Prestação: 514,41€/mês

Valor condomínio: 20€/mês

Encargos iniciais com Crédito Habitação:

Comissão de avaliação: 221€

Imposto de Selo: 928,26€

Escritura: 1 449,43€

IMT: 2 954,77€

Seguros:

Vida: 299,99€/Ano

Multirriscos: 199,16€/Ano

IMI: 515,70€

Valor Total/Ano = 7 427,77€

Valor Total/ 30 Anos = 222 833,10€

Arrendamento T1 com 50m2 em Lisboa

Renda: 645€

Caução: 645€

Valor Total/Ano = 7 740€

Valor Total/30 anos = 232 200€

Neste exemplo, ao optares por comprar casa, terás a seguinte poupança:

Poupança ao ano de: 312,23€

Poupança a 30 anos: 9 366,90€

Exemplo 2

Tendo em conta um T1 com 50 m2 no Porto no valor de 108 500€

Crédito Habitação a 30 anos

Entrada Inicial: 10 850€

Valor da Prestação: 324,69€/mês

Valor condomínio: 20€/mês

Encargos iniciais com Crédito Habitação:

Comissão de avaliação: 221€

Imposto de Selo: 585,90€

Escritura: 1 459,23€

IMT: 321,86€

Seguros:

Vida: 189,35€/Ano

Multirriscos: 127,87€/Ano

IMI: 325,50€

Valor Total/Ano = 4 779€

Valor Total/ 30 Anos = 143 370€

Arrendamento T1 com 50m2 no Porto

Renda: 495€

Caução: 495€

Valor Total/Ano = 5 940€

Valor Total/30 anos = 178 200€

Neste exemplo, ao optares por comprar casa, terás a seguinte poupança:

Poupança ao ano de: 1 161€

Poupança a 30 anos: 34 830€

Nota: Os seguros podem ser alterados por outros à escolha do cliente, desde que as coberturas se mantenham as mesmas. Os valores acima são da inteira responsabilidade da UCI e dizem respeito a uma simulação, não representando por isso qualquer tipo de garantia.

Já sabes, tomes tu a decisão que tomares, só a ti te diz respeito e deve estar alinhada com as tuas possibilidades e acima de tudo, bem esclarecida na tua cabeça.

É por isso que deves informar-te bem antes de tomares a decisão de comprar casa e para isso podes contar com a ajuda da UCI. A UCI (União de Créditos Imobiliários) é uma instituição especializada na concessão de Crédito Habitação e soluções de financiamento para Compra de Casa e dispõe de muitas ferramentas que te podem ajudar se comprar casa é um desejo teu num futuro próximo. Profissionais competentes para esclarecer todas as tuas dúvidas e encontrar a melhor solução para ti, simuladores de crédito habitação, artigos úteis sobre crédito habitação e muito mais.

Esta parceria tem o objectivo de te ajudar a tomar uma decisão informada. Porque cada caso é um caso, e todas as situações devem ser vistas individualmente, não hesites em entrar em contacto com eles caso tenhas alguma dúvida ou queiras saber com o que podes contar se decidires pedir um crédito habitação.

Espero que tenhas gostado deste artigo e não te esqueças de o partilhar com os teus amigos e/ou familiares.

Obrigada por estares desse lado.

Cat