Queres aprender a construir um Orçamento Mensal para teres as tuas finanças sempre controladas?

Na minha opinião, ter um orçamento mensal é uma ferramenta fundamental para que faças uma boa gestão do teu dinheiro. 

Antes de avançarmos para a parte prática, vamos lá esclarecer o que é isto de um orçamento mensal

Um orçamento mensal é nada mais nada menos do que o planeamento financeiro do teu mês através da previsão das receitas e das despesas que vais ter.

Trocando isto por miúdos, é distribuíres o teu dinheiro pelos diferentes gastos que tens.

orçamento-mensal
Quais são as vantagens de teres um orçamento mensal?
  • Mostra-te quanto dinheiro entra na tua conta bancária todos os meses e permite-te decidir para onde é que esse dinheiro vai;
  • Permite que tenhas um maior controlo sobre o que fazes ao teu dinheiro de forma a que ele não ande por aí à solta, descontrolado, a fazer o que lhe apetecer; 
  • Consegues ter uma ideia ao longo do mês de como te estás a comportar em cada uma das categorias e ajustas os teus gastos consoante as tuas necessidades. 
  • Dá-te uma maior segurança e flexibilidade porque tens tudo controlado. 
Como posso fazer o meu Orçamento Mensal?

Vou partilhar contigo 3 passos muito simples para fazeres o teu orçamento mensal, mas és tu que tens de encontrar uma forma de gerir o teu dinheiro que funcione para ti. Porque sim, existem várias formas de o fazer:

  • Com o método das percentagens e do “idealmente” em que atribuis percentagens diferentes a categorias diferentes. 
  • Através do método dos envelopes, onde levantas o dinheiro e o colocas em envelopes separados para cada uma das tuas necessidades;
  • O meu preferido que é o método do “paga-te primeiro” onde poupas primeiro e vives com o resto.
  • Ou ainda o método do Orçamento Zero, onde dás um destino específico a TODO o teu dinheiro do mês.

Enfim, há muitos métodos por aí e o objectivo aqui é que encontres um que funcione para ti, e que esteja ajustado às tuas necessidades e à tua realidade.

orçamento-mensal

Para fazeres o teu orçamento mensal tens três ferramentas que podes utilizar: 

  • Uma aplicação de telemóvel (recomendo a Boonzi, uma app Portuguesa muito simples de utilizar. Podes saber mais sobre ela ou ver outras que recomendo no menu de Recursos aqui do site),
  • Uma folha de Excel (se subscreveres a minha Newsletter recebes de forma totalmente gratuita um ficheiro Excel criado por mim com um orçamento que podes adaptar à tua realidade e onde podes também controlar os teus gastos, as tuas poupanças e a tua dívida)
  • Um papel e uma caneta

É altura então de colocar as mãos na massa e em três simples passos criar um orçamento mensal.  

1 – Calcula o Teu Rendimento

Começa por encontrar o teu rendimento líquido, ou seja, o valor de todas as tuas fontes de rendimento depois de impostos. 

Se o valor não for o mesmo todos os meses (caso sejas freelancer ou caso tenhas comissões/prémios mensais), coloca sempre o valor por baixo, ou seja, o mínimo que sabes que vais receber. É importante que coloques o mínimo para saberes que pelo menos com esse dinheiro podes contar e para não andares a orçamentar o teu mês com dinheiro que podes não receber.

Depois de teres registado todos os valores que sabes que vais receber, é altura de os somares. Vamos fingir que dá € 1.000,00 para trabalharmos com números redondos, ok? 

Tens então € 1.000,00 para distribuir. 

2 – Calcula as tuas Despesas

Encontra agora o valor de todas as tuas despesas fixas do mês, ou seja, aquelas despesas que sabes que vais mesmo ter. 

Dou-te alguns exemplos: 

  • Renda/Empréstimo da Casa – € 500,00
  • Alimentação – € 200,00
  • Água – € 20,00 
  • Gás e Luz – € 30,00 
  • Internet, Televisão e Telemóvel – € 40,00 
  • Ginásio – € 20,00
  • Crédito 1 – € 150,00 
Algumas notas importantes nesta fase:
  • Há despesas mais variáveis como a água, a luz e o gás em que não pagas o mesmo todos os meses. Para chegares a um valor médio, pega nas últimas 3 facturas que recebeste, vê mais ou menos quanto gastaste e, ao contrário do que sugeri antes, coloca no teu orçamento o valor por cima, ou seja, o máximo que achas que vais gastar nesse determinado serviço. Quando receberes a factura do serviço, vais ao teu orçamento e ajustas o valor.
  • Na rubrica da alimentação é importante que definas um orçamento que não podes ultrapassar, de forma a te disciplinares nas tuas idas ao supermercado. Imagina que definiste € 200,00 mas só gastaste € 150,00. Sabes para onde podem ir os € 50,00 que sobraram? Para algo que queiras muito ou para a tua poupança. É uma forma de te disciplinares e de te desafiares a gastar menos dinheiro em bolachas. Sim, eu sei que tu gostas de bolachas. 
  • É importante antecipares despesas de forma a não seres surpreendido a meio do mês. Por isso mesmo, pensa se há aniversários nesse mês, consultas médicas, revisões do carro, seguros, festas de aniversário, etc e contempla tudo nas despesas fixas.
  • Faz a listagem de todas as tuas despesas fixas com o extracto da tua conta bancária dos últimos meses para não te escapar nada e para colocares os valores correctos. ⠀
moedas
Depois de listares as tuas despesas fixas, é importante que definas um montante para poupares.

Falei sobre a importância disso neste post onde te falo da melhor dica de poupança de sempre.  

O montante que vais poupar deverá ser confortável para ti, não deverá fazer-te falta nas tuas despesas fixas e não deverá condicionar totalmente as tuas despesas de lazer.

Podes definir um valor global para um só objectivo ou definir vários valores para objectivos diferentes. Lê este post sobre como definires os teus objectivos financeiros

Se não colocares este dinheiro de lado nesta fase, os teus objectivos e sonhos têm uma maior probabilidade de ficarem comprometidos, porque não é no final do mês, quando dificilmente sobrar alguma coisa, que vais poupar dinheiro. 

Depois de já teres considerado as tuas despesas fixas e a tua poupança no teu orçamento, chegou a altura de criares um orçamento para as restantes áreas da tua vida que são importantes, mas não obrigatórias como:

  • Lazer (jantar fora, cinema, saídas à noite) 
  • Cuidado pessoal (manicure, cabeleireiro, depilação)
  • Compras (livros, roupa, maquilhagem)
orçamento-mensal
3 – Ajusta

Agora que já tens o valor total do teu rendimento e o valor total de todas as tuas despesas, só tens de subtrair ao teu rendimento, o valor total das tuas despesas. 

O valor é positivo? Fantástico, estás com uma boa saúde financeira. Podes deixar esse dinheiro onde está para alguma eventualidade do mês ou podes reforçar a tua poupança, colocar de lado para o pagamento antecipado de dívida, para umas férias ou para algo que queiras comprar/investir. 

O valor é negativo? Ups, sinal de alerta e má saúde financeira à vista. É altura de ajustar. 

Analisa que despesas podes cortar ou reduzir. Começa por analisar os orçamentos que criaste para o lazer, cuidado pessoal ou compras e diminui esses valores.

Depois de feito, é importante que revejas o teu orçamento mensal pelo menos 1 vez por semana e que faças os ajustes necessários. 

É nesta altura que o teu orçamento mensal se pode (e deve) transformar num mapa de controlo de gastos onde vais registando as tuas despesas permitindo-te ter uma noção real para onde está a ir o teu dinheiro. 

Imagina que estás a gastar mais dinheiro em comer fora do que aquele tinhas previsto. Se calhar tens de fazer um esforço até ao final do mês, e comer mais vezes em casa. 

Relembro que podes fazer o download do mapa de controlo financeiro que criei para ti, de forma totalmente gratuita e ficares assim com esta ferramenta super poderosa de controlo das tuas finanças pessoais. 

Com este passo-a-passo super fácil que partilhei contigo, não tens mesmo desculpa para não te atirares já à criação do teu orçamento mensal do próximo mês.

Partilha este artigo com um amigo ou familiar que achas que pode beneficiar desta ferramenta. 

Ah, e Obrigada por estares desse lado. 

Cat. 

Share: