fbpx
Avançar para o conteúdo

Despesa Inesperada: Como Lidar?

Surgiu uma despesa inesperada no teu orçamento…e agora, o que vais fazer?  

Convenhamos, de certeza que já te deparaste com esta situação:

o mês até está a correr bem, é desta que vais conseguir poupar algum dinheiro e …

BAAAM, uma despesa inesperada!!!

Um arranjo dispendioso no carro.

O teu animal de estimação fica doente.

Tens um imprevisto de saúde.

Um eletrodoméstico avaria-se.

Se isto nunca te aconteceu, lamento informar, mas vai acontecer.

Calma, não estou a desejar-te mal.

Estou apenas a ser realista.

É que há tanta coisa que pode acontecer sem estares à espera, que ficava aqui eternamente a listar todas as hipóteses.

Imprevistos acontecem a todos, e tu não és nem serás exceção.

Por isso mesmo, e por saber o peso que uma despesa inesperada pode ter num orçamento que por si só já é apertado, trago-te no artigo de hoje algumas coisas que podes fazer para que ela provoque o menor dano possível.

despesa inesperada
Passo 1 – Aceitar o que está a acontecer

Seja um arranjo no carro, um problema em casa ou um imprevisto de saúde, o passo mais importante é aceitares que te aconteceu.

Essa aceitação vai permitir que lides com a situação de uma forma mais tranquila e prática.

Muitas das vezes colocamos um peso maior nas coisas do que aquele que elas têm.

Se ficares a remoer no problema e a dizer mal da tua vida, não abres os horizontes para seres criativo na solução.

E a solução é chave.

É ela que te vai permitir seguir em frente.  

Claro que é uma chatice.

Provavelmente não estavas a contar com esse gasto.

É dinheiro que podias usar noutra coisa mais benéfica para ti.

No entanto, não achas melhor aceitares o que te aconteceu e focares as tuas energias e o teu pensamento em encontrares a melhor solução para o problema?

Passo 2 – Não te precipites para uma solução

Muitas das vezes, soluções “a quente” não são as melhores opções.

A urgência em resolveres o problema pode fazer com que tomes uma decisão precipitada e ainda por cima, errada.

As decisões precipitadas são tomadas geralmente por impulso, sem grande reflexão e muitas das vezes acabam por ser desnecessárias ou inadequadas.

Podem mesmo sair-te mais caras só pela pressa que tiveste em resolver o assunto.

E claro que às vezes o assunto até é urgente e nós queremos resolvê-lo o mais rápido possível.  

Mas se der para esperar, espera.

Isto porque a primeira solução que encontras, nem sempre é a mais económica ou a mais vantajosa para ti.

Já sabes que a noite é boa conselheira, e é sempre uma boa ideia afastares-te do problema para refletires tranquilamente sobre qual será a melhor opção de resolveres as coisas.

Muitas das vezes com o nervosismo, o stress e a ansiedade de ver as coisas resolvidas, não pensamos noutras opções para além das óbvias e limitamos muito o nosso pensamento.

Dá um passo atrás, segue mais algumas das dicas que dou abaixo e depois sim, toma a tua decisão.

Passo 3 – Partilha o que te aconteceu

Quantas vezes já te aconteceu estares a partilhar uma dificuldade qualquer que tiveste, e dizerem-te:

“Eh pá, tinhas falado comigo e eu tinha-te ajudado!”

Soa-te familiar?

É claro que com isto não te estou a dizer que deves recorrer a toda a tua lista de contactos quando te acontece um imprevisto.

Mas podes socorrer-te da tua família ou de amigos chegados que te podem sugerir uma solução que ainda não te ocorreu.

Já lhes pode ter acontecido o mesmo e terem dicas para partilhar, ou conhecerem alguém que te possa ajudar.

Falar com conhecidos que percebam do assunto e procurar aconselhamento é uma forma de solucionares o teu problema de forma inteligente, porque de certeza que terão conselhos úteis sobre o que fazer e não fazer.

Além disso, partilhares o que te aconteceu com outras pessoas vai ajudar-te a não guardares o peso todo para ti e faz-te sentir apoiado.

Algo que faz toda a diferença quando estamos mais em baixo.

despesa inesperada
Passo 4 – Analisa como podes pagar a despesa

Antes de entrares em pânico, analisa as tuas contas e percebe se essa despesa inesperada cabe no teu orçamento para o mês.

(Não sabes do que estou a falar? Lê aqui um artigo que te explica como podes fazer o teu orçamento mensal.)

Será que se apertares o cinto o resto do mês, consegues pagá-la sem mexer nas tuas poupanças e/ou sem te endividares?

Do que podes abdicar para conseguires pagar a tua despesa com o dinheiro que tens disponível?

Há alguma mensalidade que não seja obrigatória?

Podes reduzir as despesas extra como refeições fora, cafés e saídas, roupa, etc?

Como te disse em cima, não te precipites numa decisão e percebe quanto dinheiro tens disponível e quanto é que ainda vais receber nos próximos tempos que te possa ajudar a equilibrar as contas.

Se não olhares para as tuas contas e se te precipitares a resolver o assunto, podes estar a usar dinheiro que te vai fazer falta o resto do mês, por isso sê prudente.

Se depois de analisares a situação, perceberes que tens de recorrer às tuas poupanças, FORÇA!

Lembra-te que é para isso que elas existem: para fazer face a uma despesa inesperada.

É sinal de segurança financeira teres esta almofada pronta para te amparar qualquer queda, por isso não descures a construção do teu Fundo de Emergência.  

Se usares dinheiro que tens na poupança, já sabes que o teu próximo esforço será repor o que tiveste de tirar.

E por fim, a última hipótese e menos apetecível, será o endividamento.

Lembra-te que deves evitar ao máximo esta solução porque vai criar um peso acrescido no teu orçamento, mas se não tiveres mesmo mais nenhuma forma de resolver o assunto, deves considerá-la.

Se tiveres de o fazer, escolhe a melhor forma de o fazeres e que tenha o mínimo de custos acrescidos para ti. Há muitas opções no mercado e deves ser ponderado a avaliar as melhores opções.

Evita os cartões de crédito, porque têm taxas de juro MUITO elevadas e não são a melhor opção a longo prazo porque no final, acabas por pagar MUITO mais do que pediste.

Descobri a Twinkloo que é uma plataforma que te ajuda a encontrar o melhor crédito que necessitas, adequado ao teu perfil e à tua taxa de esforço. A grande vantagem disto é que não pagas nada – é absolutamente gratuito para o consumidor.

Através deste simulador, a Twinkloo diz-te em segundos qual a melhor prestação do mercado de acordo com o montante e prazo que definiste.

A simulação é muito simples e rápida, sem compromisso ou custos para ti. Se tiveres interesse em avançar, a equipa Twinkloo trata de tudo sem chatices nem burocracias.

Twinkloo

A Twinkloo tem uma presença sólida no mercado e pertence a um grupo empresarial com mais de 15 anos de experiência no mercado. Trabalha com bancos de referência como Abanca, Bankinter, CGD, Banco CTT, BPI, Eurobic, Santander, UCI, entre outros.

E isto também funciona para Crédito à Habitação.

Se estiveres a pensar comprar casa, espreita o simulador para Crédito Habitação que te encontra as melhores condições do mercado e te ajuda em todos os passos do processo.

Numa só simulação podes consultar as 10 principais ofertas no mercado que os Bancos têm para ti, tudo isto sem sair de casa e à distância de um click.

Incrível, verdade?

Passo 5 – Ajusta o teu orçamento

Independentemente de como decidires pagar a despesa inesperada que te apareceu, é importante que depois disso, ajustes o teu orçamento para que ela cause o menor impacto possível.

Caso tenhas de te endividar, começa já a trabalhar num plano de desendividamento para pagares a dívida o quanto antes.

Vais ter de ir buscar dinheiro às tuas poupanças? Planeia como é que o vais repor.

Se pedires emprestado a alguém, define logo um calendário de pagamentos.

É importante que reúnas os teus esforços para poupares o máximo de dinheiro possível para conseguires equilibrar novamente o teu orçamento.

Há despesas inesperadas que são um verdadeiro arrombo, por isso tens de tomar medidas para que te consigas erguer o mais rápido que conseguires.

Tens nesta secção inúmeros artigos com formas diferentes de poupar dinheiro, mas em linhas gerais podes começar por abdicar de coisas que te dão prazer, mas que não são absolutamente necessárias para a tua sobrevivência: comer fora, compras, lazer, etc

despesa inesperada

Espero que este artigo te tenha conseguido mostrar que com organização e planeamento, consegues que uma despesa inesperada não seja uma dor de cabeça tão grande como fazia prever.

Independentemente do que escolheres fazer, certifica-te que analisaste todas as tuas opções e escolheste a forma mais vantajosa, PARA TI, de resolveres o assunto.

Partilha este artigo com um amigo ou familiar para que, tal como tu, também ele esteja preparado para quando a despesa inesperada surgir.

Obrigada por estares desse lado.

Cat

(artigo escrito em parceria com a Twinkloo)