fbpx
Avançar para o conteúdo

Dívidas: um passo-a-passo para acabares com elas

Dívidas: uma dor de cabeça para grande parte dos Portugueses.

A dívida do cartão de crédito, a dívida do carro, a dívida do telefone que compraram a prestações, a dívida do empréstimo que pediram para uma emergência que apareceu (ou para umas férias!)

É o teu caso?

Se sim, este artigo vai ajudar-te.

Criei um verdadeiro passo-a-passo para acabares com as tuas dívidas!

Independentemente do motivo que te levou a contrair dívidas, está na tua mão acabares com elas e livrares-te desse peso no teu orçamento, bem como dos juros associados que são verdadeiros ladrões do teu dinheiro.

Vamos a isso?

Passo 1 – Muda o teu Mindset

Sair de um processo de endividamento não é fácil e exige bastante compromisso, força de vontade e sentido de missão da tua parte.

Vai ser preciso que alteres comportamentos, rotinas e que abdiques de mordomias e prazeres que tens.

Se queres sair do estado endividado em que te encontras tens de interiorizar que tens de mudar o teu estilo de vida e que não podes continuar com os mesmos comportamentos que te levaram até ele.

Não vais sair das dívidas do dia para a noite, muito menos fazendo as coisas exatamente da mesma forma como fazes agora.

Começa por interiorizar que daqui para a frente as coisas terão de ser diferentes.

É com esse mindset que quero que leias o resto do artigo que escrevi para ti.

Passo 2 – Lista todas as tuas dívidas

Para liquidares todas as tuas dívidas, tens de saber exatamente quanto deves, e a quem.

Só assim é que vais conseguir fazer um plano de desendividamento.

Com a ferramenta com que te sentires mais à vontade (Excel ou papel e caneta), lista todas as tuas dívidas e escreve exatamente quanto te falta pagar do montante que pediste emprestado.

Consegues recolher essa informação nos extratos que as entidades te enviam mensalmente ou nas apps, home banking, portal de cliente, etc.

A informação que tens de procurar é o Capital em Dívida e podes apontar também a taxa mensal que te está a ser cobrada (TAN).

Vai ser-te útil mais à frente e já vais perceber porquê.

Leva o teu tempo a fazeres este exercício.

O importante é que escrevas todos os valores em dívida, e já agora, separados por tipo de crédito que é para saberes a que se referem: crédito automóvel, cartão de crédito, crédito pessoal, etc.

Passo 3 – Organiza as tuas finanças

O motivo que te levou a estares tão endividado foi provavelmente uma má gestão do teu dinheiro.

E não é só contigo que isso acontece. 

Muita gente vive acima das suas possibilidades porque não faz um controlo financeiro ou registo das despesas e não se apercebe que de mês para mês está constantemente a gastar mais dinheiro que aquele que recebe.

É claro que, com um estilo de vida muito acima daquele que é possível suportar, o endividamento seja a “solução” de muitos Portugueses.

Mas não tem, nem deve ser assim e é por isso que é tão importante organizares as tuas finanças e saberes exatamente quanto ganhas e qual o valor das tuas despesas fixas obrigatórias.

Só assim vais saber se o montante que recebes mensalmente está a dar para pagar o teu estilo de vida, e quanto te sobra depois de todas as tuas despesas pagas.

Não me vou alongar mais sobre este tema porque tenho neste artigo um passo-a-passo para te ajudar neste processo de organização das tuas finanças.

Se queres mesmo sair das dívidas, tens que dar uma volta às tuas finanças e organizá-las é o ponto de partida.

Certifica-te que lês o artigo que partilhei contigo.

Passo 4 – Cria um plano de desendividamento

Depois de teres organizado a tua dívida e as tuas finanças, podes começar a trabalhar num plano de desendividamento.

E em que é que ele consiste?

Consiste em definires a estratégia que vais utilizar para acabares de pagar a tua dívida mais rapidamente.

Se te cingires às prestações de pagamento que contrataste (ou seja, o prazo do teu empréstimo) vais pagar muito mais juros do que aqueles que pagarás se encurtares essas mesmas prestações.

Só o consegues fazer se liquidares a tua dívida antes do tempo e teres um bom plano de desendividamento permite que isto aconteça.

O teu plano de desendividamento deve ser o mais detalhado possível, e podes usar o trabalho que fizeste anteriormente de listar todas as tuas dívidas.

Separa dívida por dívida num excel ou num caderno, e detalha os reforços mensais de poupança que vais fazer para conseguires prever a data em que vais acabar de a pagar.

Agora que está definido o que é um plano de desendividamento vamos ao que considero ser o método mais vantajoso.

Passo 5 – Ataca a dívida mais pequena

Para mim, e para muitos outros especialistas em Finanças Pessoais, este é o método que funciona melhor, porque te vai dar MOTIVAÇÃO e fluxo de caixa para continuares.

Imagina que tens uma dívida no cartão de crédito de € 570,00, um crédito pessoal de € 3.200,00 e uma dívida de um crédito automóvel de € 7.5000,00.

Cada uma destas dívidas tem uma prestação mensal associada, correto?  

O que eu quero que faças é que comeces, em paralelo, a poupar dinheiro para pagares antes do tempo a dívida mais pequena que tens.

No exemplo que dei, o cartão de crédito.

Como expliquei acima, se te esforçares por pagar a dívida antes do tempo, vais pagar menos dinheiro do que aquele que irias pagar se levasses a dívida até ao fim.

Como?

Porque a partir do momento em que liquidas o capital que está em dívida, a dívida acaba e deixas de pagar os juros!

Foi por isso que em cima te pedi para escreveres o Capital em Dívida de cada uma das dívidas que tens.

É este valor que te vai interessar e é sobre este valor que são calculados os juros que pagas todos os meses.

Quando tiveres na tua poupança o dinheiro suficiente para liquidar a tua dívida mais pequena, contacta a instituição financeira, e liquida-a por completo.

Ao fazeres isto, livras-te de uma dívida, da sua prestação mensal e ficas com mais folga no teu orçamento.

E o que fazer com o dinheiro que já não vais usar para pagar a prestação da dívida mais pequena que tinhas?

Poupá-lo, em paralelo, para liquidar a tua outra dívida, juntamente com outras poupanças que vás conseguindo fazer.

No exemplo que dei acima, seria o crédito pessoal.

Depois desta explicação, deu para perceberes o efeito positivo de bola de neve que este método te permite ter num processo de desendividamento?

dívidas
Passo 6 – Corta em tudo o que puderes

Num processo de desendividamento, todos os euros contam.

Como te disse logo no Passo 1, o teu mindset vai ter um papel fundamental neste processo.

Tens mesmo de assumir o compromisso e mudar os teus comportamentos para sair da espiral de dívidas em que te encontras.

Se não o fizeres, vais continuar exatamente na mesma, ou pior!

Tens de arranjar forma de poupar dinheiro, e de interiorizar que pequenos gestos todos os dias fazem a diferença na poupança no final do mês.

Quando estiveres a organizar as tuas finanças, e estiveres a listar as tuas despesas, irás certamente encontrar despesas que não são obrigatórias: refeições fora, roupa, take-away, ginásio, empregada doméstica, passeios, compras, etc.

São estas coisas que tens de cortar e pequenas mudanças podem fazer toda a diferença:

  • Leva almoço ou jantar de casa para o trabalho
  • Evita ao máximo o take-away e as refeições fora e come em casa
  • Faz compras mais organizadas no supermercado e só do que precisas
  • Coloca o consumo em stand-by
  • Reduz as saídas com os teus amigos
  • este artigo que está carregado de dicas de poupança
Passo 7 – Poupa no início do mês

O ideal é que a poupança para liquidares a tua dívida seja feita no início do mês e num sítio diferente da tua conta à ordem.

Porquê?

Porque se o dinheiro sair da tua conta mal recebes o ordenado, não o irás ver, não vais contar com ele e a probabilidade de o gastares em coisas inúteis é muito mais reduzida.

Ao poupares esta quantia no início do mês, estás a garantir a tua segurança e o teu desendividamento.

este artigo que te explica o passo-a-passo para encontrares um montante de poupança que caiba no teu orçamento.

Aproveita também para reforçar a poupança que estás a fazer com uma parte dos subsídios de férias e de Natal, de prémios, extras ou reembolsos que possas receber e acelera o teu processo de desendividamento.

Passo 8 – Encontra uma forma de ganhares mais dinheiro

Se o teu orçamento estiver apertado e não souberes mais onde cortar, podes optar também por arranjar uma forma de ganhar mais dinheiro.

É fundamental que reduzas as tuas despesas, mas se aumentares simultaneamente os teus ganhos vais conseguir resultados muito mais facilmente.

Tenho dois artigos que te dão inúmeras ideias de como podes ganhar mais dinheiro, aproveita.

Passo 9 – Consolida a tua dívida

Se tens várias dívidas diferentes, com taxas diferentes e em instituições diferentes, pondera pedires um crédito pessoal para liquidares tudo e ficares a pagar apenas uma prestação.

Prestação essa que pode ser mais reduzida do que a soma de todas as prestações que pagas.

Uma prestação mais reduzida vai dar-te uma folga no orçamento, para que consigas poupar mais dinheiro.

Com o trabalho que fizeste em cima, vais conseguir saber exatamente quanto deves e podes ir à procura de um crédito com uma taxa mais baixa do que aquelas que estás a pagar.

Descobri a Twinkloo que é uma plataforma que te ajuda a encontrar o melhor crédito que necessitas, adequado ao teu perfil e à tua taxa de esforço.

A grande vantagem desta plataforma é que não pagas nada – é absolutamente gratuito para ti.

Através deste simulador, a Twinkloo diz-te em segundos qual a melhor prestação do mercado de acordo com o montante e prazo que definiste.

A simulação é muito simples e rápida, sem compromisso ou custos para ti.

Outra vantagem: tens uma equipa pronta para esclarecer todas as tuas dúvidas e ajudar-te no processo todo caso queiras avançar com o crédito.

A Twinkloo tem uma presença sólida no mercado e pertence a um grupo empresarial com mais de 15 anos de experiência no mercado. Trabalha com bancos de referência como Abanca, Bankinter, CGD, Banco CTT, BPI, Eurobic, Santander, UCI, entre outros.

Se a tua situação está a ficar descontrolada, estuda com a ajuda da Twinkloo uma forma de reduzires o peso de todas as tuas prestações de crédito.

Espero que este artigo te tenha sido útil.

Dei-te um verdadeiro passo-a-passo para saíres das dívidas e a bola agora está do teu lado.

Vais aproveitar a ajuda e mudar a tua vida financeira para melhor?

Precisas de muita força de vontade para implementar tudo o que é necessário, e muita determinação, foco e resiliência para levares o processo até ao fim.

Eu não duvido de que sejas capaz.

Basta quereres.

Passei-te muitas estratégias e ferramentas por isso certifica-te que lês todas as minhas sugestões de artigos.

Tenho a certeza que te vão ajudar muito em todos os passos que tens de dar.

Obrigada por estares desse lado.

Cat

(artigo escrito em parceria com a Twinkloo)