euribor

Muito se tem falado sobre a subida das taxas de juro, e no artigo de hoje vou explicar-te o que se está a passar e dar-te um conjunto de estratégias para lidares com a situação.

A palavra de ordem é PREVENIR, por isso é importante que conheças bem a tua situação e quais as possíveis implicações no teu orçamento para não seres apanhado de surpresa e não ficares com uma situação financeira apertada.

Mas vamos em primeiro lugar, perceber o que se está a passar.  

O QUE É A EURIBOR?

A Euribor é a abreviatura de European Interbank Offered Rate, e é a taxa de juro de referência praticada por um conjunto de bancos da zona euro nos empréstimos que fazem entre si.

O cálculo é feito a partir da média das taxas de juro de 57 bancos europeus, incluindo a Caixa Geral de Depósitos.

Com o aumento da Inflação na Zona Euro, o Banco Central Europeu tomou medidas para travar o aumento dos preços, aumentando a taxa diretora, que é a taxa que cobra aos bancos para lhes emprestar dinheiro.

A Euribor não é definida pelo BCE, mas, se o BCE aumenta as taxas de juro para emprestar dinheiro aos bancos, a Euribor vai também aumentar porque está intimamente ligada a essas taxas de juro.

Segundo a IMF (Informação de Mercados Financeiros) prevê-se que a Euribor a 12 meses esteja a 0,60% no início de agosto, a 1,06% no início de novembro e a 1,62% daqui a um ano. Já a Euribor a 6 Meses pode chegar a valores positivos em julho, e a Euribor a 3 Meses em agosto.

No entanto, só deverão passar a fasquia de 1% no início do próximo ano.

O impacto da subida da Euribor não vai ser o mesmo para toda a gente uma vez que esse aumento será sempre influenciado pelo capital em dívida, pelo spread contratado e pelo indexante usado (Euribor a 3M, 6M ou 12M).

Agora que a situação está percebida, vamos às estratégias que podes utilizar para minimizar o impacto desta subida no teu orçamento mensal.

1 – Descobre a tua situação

Em primeiro lugar, tens de perceber qual o impacto desta subida na tua prestação mensal.  

Qual o valor mensal que te vai ser cobrado a mais? De quanto em quanto tempo é que esse valor pode aumentar? Qual o máximo que podes vir a pagar de prestação?

Para saberes com o que podes contar, contacta o teu gestor e coloca-lhe TODAS as questões que te estiverem a apoquentar.

Também podes usar este simulador para calculares a tua nova prestação.

Assim que souberes qual o valor da tua prestação nos próximos tempos é altura de perceberes como é que ela vai afetar o teu orçamento.

2 – Percebe o impacto no teu orçamento mensal

Se ainda não tens um orçamento mensal, descobre aqui a sua importância e como podes fazer um.  

Se já tens o teu orçamento feito, atualiza-o com este novo valor de prestação e analisa as implicações no teu saldo do mês.

Relembro-te que o peso com as prestações de crédito não deve ser superior a 35% do rendimento da família.

Esta análise vai ajudar-te a teres uma perceção real do impacto do aumento da prestação no teu orçamento mensal e pode tranquilizar-te ao perceberes que a situação não fica tão má como pensavas.

Por outro lado, também te pode mostrar que o teu orçamento vai ficar apertado e alertar-te para alguns comportamentos que terás de mudar.

Euribor
3 – Se o orçamento ficar apertado:

Reduz as tuas Despesas

Se ao fazeres o exercício anterior, te apercebeste que o teu orçamento mensal vai ficar apertado, podes começar por reduzir as tuas despesas variáveis, ou seja, as despesas associadas ao teu estilo de vida.

Reduz o consumo de roupa, bijuteria, gadgets, cosmética, etc. e os teus gastos de lazer como refeições fora, saídas com amigos e take-away.

Se queres implementar uma verdadeira operação de poupança, lê estes artigos que tenho para ti:

Para fazer frente a este e futuros aumentos, é muito importante que vivas dentro das tuas possibilidades e adeques o teu estilo de vida aos teus rendimentos.

Certifica-te que todos os meses tens uma margem de manobra para imprevistos que possam aparecer e para conseguires poupar dinheiro.

Amortiza uma parte do Capital

Se conseguires reduzir o capital que tens em dívida com o banco, a tua prestação mensal fica mais baixa, compensando assim o aumento da Euribor.  

Se tens dinheiro de parte que possas utilizar para este efeito, usa-o para uma amortização.

Não te esqueças que estas amortizações têm sempre custos associados por isso faz as contas antes de avançares.

E aproveito para te lembrar que não é boa ideia usares dinheiro do teu Fundo de Emergência para esta amortização.

Caso contrário, se te acontece um imprevisto, ficas desprotegido.

Negoceia as condições com o teu banco

Entra em contato com o teu gestor, e diz-lhe que queres rever e negociar as condições do teu crédito.

Podes baixar o teu spread, aumentar o prazo do financiamento ou reduzir os encargos com seguros, por exemplo.  

este artigo para saberes o que é o spread e como o podes negociar com o banco.

Se te aperceberes que com este aumento podes vir a falhar o pagamento das prestações, fala com o teu Banco para, em conjunto, chegarem a uma solução.

Eles têm planos de ação para estes casos e os créditos são negociados para em situações financeiras mais complicadas, de forma a que não entres em incumprimento.

Transfere o teu crédito para outro banco

Se o teu banco não for flexível na redução do spread, e na melhoria das tuas condições, procura no mercado um banco que te possa apresentar condições melhores.

Se o teu spread for superior a 2% então conseguirás facilmente encontrar condições melhores.

E não precisas de ter muito trabalho a fazer isto, porque encontrei os parceiros ideais para ti.

A Twinkloo é uma plataforma que te ajuda a encontrar o melhor crédito que necessitas, adequado ao teu perfil e à tua taxa de esforço. A grande vantagem desta plataforma é que não pagas nada – é absolutamente gratuito para ti.

Através deste simulador, a Twinkloo diz-te em segundos qual a melhor prestação do mercado de acordo com o montante e prazo que definiste.

A simulação é muito simples e rápida, sem compromisso ou custos para ti.

Outra vantagem: se decidires avançar e saber mais, tens uma equipa pronta para esclarecer todas as tuas dúvidas e ajudar-te no processo todo.

A Twinkloo tem uma presença sólida no mercado e pertence a um grupo empresarial com mais de 15 anos de experiência no mercado. Trabalha com bancos de referência como Abanca, Bankinter, CGD, Banco CTT, BPI, Eurobic, Santander, UCI, entre outros.

Muda para a taxa fixa

Se com estes futuros aumentos te apercebeste que não lidas bem com as oscilações e imprevisibilidade do mercado, podes sempre mudar o teu crédito habitação para taxa fixa.

Apesar de a taxa variável ainda ser mais vantajosa, o futuro é incerto.

Se te deixa mais seguro saber exatamente quanto vais pagar todos os meses, muda para taxa fixa.

É uma situação mais vantajosa do que a insegurança e ansiedade com que podes ter de lidar nos próximos tempos.

Considera também este cenário nas simulações que pedires à Twinkloo.

Euribor

A subida das taxas de juro é uma realidade, que não pode ser ignorada.

Se o aumento agora for de € 20,00 todos os meses, pode vir a ser o dobro num futuro próximo.

E como certamente saberás, o preço dos combustíveis, da energia e dos bens de consumo também aumentou.

Um estilo de vida mais caro, se não for acompanhado por um aumento semelhante dos rendimentos, pode trazer problemas.

Se não encontras forma de aumentar os rendimentos, terás de reduzir as tuas despesas.

Não te desleixes e faz o que estiver ao teu alcance para minimizares o impacto destes aumentos no teu orçamento.

Partilha este artigo com familiares e amigos que tenham Crédito Habitação e ajuda-os a contornar os eventuais impactos que também eles venham a sentir.

Obrigada por estares desse lado.

Cat

(artigo escrito em parceria com a Twinkloo)