fundo-emergencia

Quantas vezes já ouviste falar em Fundo de Emergência e ficaste confuso(a)?

Nada temas. Cheguei para te esclarecer TUDO aquilo que precisas e queres saber sobre o assunto.

O QUE É UM FUNDO DE EMERGÊNCIA?

É o dinheiro que tens de parte…para uma emergência. Bastante óbvio não é verdade?

Os imprevistos (as designadas emergências) acontecem a todos, só não sabemos é quando. Infelizmente não corre sempre tudo bem, e estás sempre na iminência de te acontecer alguma coisa, principalmente se já tiveres a tua casa ou o teu carro.

Mas para interiorizares melhor isto das emergências, vou dar-te vários exemplos do que podem ser emergências na tua vida (como se tu não soubesses…):

  • O teu carro avariou e precisa de uma bateria nova;
  • Partiste um dente e tens de ir ao dentista;
  • Andaste a acelerar e chegou-te uma multa a casa;
  • A máquina de lavar roupa avariou e tens de comprar uma nova;
  • O carro não passou na inspecção porque precisa de pneus novos;
  • Foste ao oftalmologista e tens de aumentar a graduação das lentes dos óculos (esta aconteceu-me a mim no início do ano…autch)

Bom, a lista é extensa e eu acho que tu já percebeste a ideia.

Agora imagina que uma destas coisas te acontece e tu não tens um dinheiro guardado de parte para cobrires o gasto. Como vais resolver a situação?

É precisamente aqui que entra em acção o teu Fundo de Emergência.

Ele vai permitir que faças face a este tipo de despesas sem teres de comprometer o dinheiro que tens para o resto do mês, sem teres de pedir emprestado a um familiar ou amigo, ou pior ainda, sem teres de fazer um crédito para pagares a despesa a prestações e com juros elevadíssimos.

Mais do que fazer face a uma despesa inesperada, um Fundo de Emergência dá-te tranquilidade e segurança porque sabes que estás preparado(a) caso te surja um imprevisto financeiro.

COMO CONSTRUIR UM FUNDO DE EMERGÊNCIA?

O teu Fundo de Emergência deve ser construído aos poucos e dentro das tuas possibilidades financeiras.

Quando estiveres a fazer o teu orçamento do mês (lê aqui 3 passos para construíres o teu) e depois de teres o montante das tuas despesas fixas, define um valor confortável para ti para colocares de parte para o teu fundo.

O valor que colocas de parte deve ser realista e deve estar alinhado com as tuas possibilidades e necessidades ao longo do mês. Uns meses pode ser mais, outros meses em que há mais despesas pode ser menos, o importante é que esse valor exista e que seja colocado de parte mal recebes o teu ordenado (ou outra fonte de rendimento).

É importante que coloques esse valor de parte porque ao ficar na tua conta à ordem misturado com o dinheiro que sai para pagar contas, a probabilidade de o gastares vai ser grande.

Hoje em dia é super fácil criar uma conta poupança e se tiveres acesso ao homebanking nem precisas de sair de casa para o fazer. É para essa conta poupança que criaste que deves transferir todos os meses o montante que definiste anteriormente.

Ao ser reforçado todos os meses (e não existindo nenhum imprevisto, é lógico) o teu fundo de emergência vai crescendo e vai chegar uma altura em que vai atingir um montante que te permita fazer face a qualquer despesa inesperada.

QUAL O MONTANTE QUE DEVE TER O FUNDO DE EMERGÊNCIA?

Não existe uma resposta certa a esta pergunta mas existem muitas teorias.

A mais defendida é a que diz que este fundo deve ter pelo menos 6 vezes o valor das tuas despesas mensais. Se fores trabalhador independente, talvez seja melhor assegurares um pouco mais.

Como eu sei que esse valor pode assustar muita gente, e ser responsável por nem sequer começarem a tentar construir um Fundo de Emergência (por acharem que nunca vão conseguir), sou apologista de que não existe um valor certo mas deverão existir pelo menos € 1.000,00.

É esse o valor do meu fundo de emergência por exemplo. Sei que com esse valor consigo pagar um electrodoméstico que se avarie, uma despesa maior de saúde, um arranjo no carro, etc. No entanto, é o MEU valor, aquele que está adaptado à minha realidade e às minhas convicções.

Define um montante global adaptado à tua realidade e ao que consideras ser segurança. Depois de definires esse valor, trabalha todos os meses para lá chegares.

Reforça o teu fundo de emergência caso precises de o utilizar por qualquer motivo. Se tinhas € 1.000,00 e tiveste de tirar € 300,00 para uns pneus novos, é importante que te esforces novamente para os repor.

O QUE NÃO PAGAR COM O DINHEIRO DO FUNDO DE EMERGÊNCIA?

Não deves pagar com o dinheiro do fundo de emergência coisas que não sejam essenciais ou lá está, uma emergência.

Um par de sapatos que queres muito ou uma viagem de última hora com os teus amigos não são emergências.

Deves criar poupanças específicas para esse tipo de coisas, e se já não tens dinheiro na tua conta à ordem para as comprar, repensa o estilo de vida que estás a querer ter.

QUERO CONSTRUIR O MEU FUNDO DE EMERGÊNCIA, O QUE FAÇO?

Começas por olhar para o teu orçamento, e depois de chegares ao valor mensal de todas as tuas despesas fixas, define um valor para poupares para o teu fundo.

Subscreve a minha Newsletter e recebe um ficheiro Excel criado por mim onde podes criar o teu orçamento e registar as tuas despesas.

Depois de teres o teu valor definido, cria uma conta poupança no teu banco e transfere para lá esse valor. Se a tua conta-poupança permitir reforços automáticos, cria um reforço todos os meses para que não tenhas de te preocupar mais com o assunto.

Se preferires ter o dinheiro em casa, levanta o dinheiro e guarda-o em casa num sítio seguro. Simples.

EM RESUMO

O teu fundo de emergência é o teu bote salva-vidas para um imprevisto financeiro, por isso é imprescindível que comeces já hoje a trabalhar para construíres o teu.

Certifica-te que colocas de lado todos os meses um valor confortável e alinhado com a tua realidade (o que interessa que sejam só € 20,00) e sê consistente. A longo-prazo dará os seus frutos e cumprirá a sua função.

Agora só tens de meter mãos à obra!

E já agora, partilha este artigo com alguém que achas que pode beneficiar tanto como tu beneficiaste ;).

Ah, e Obrigada por estares desse lado.

Cat

Share: